terça-feira, 29 de março de 2011

Sucker Punch: Um filme muito mais profundo do que seu cartaz!

Pois é Legião Pretoboy, aqui é a dica, ou aviso, para esse futuro próximo.
Saiu para os cinemas, ou seja, está em cartaz, o filme Sucker Punch.
Para quem não assistiu ou não sabe do que se trata e pretende assistir, esse filme é para você! Sim, você meu caro amigo leitor, para você que ainda não foi assistir ao filme e ao ver os cartazes e alguns trailers ficou pensando: "Cara um novo 'Kill Bill', MASSA!".

Pois é meu caro amigo, venho tirar essa falsa idéia de sua mente. Não, não tem nada haver com Kill Bill. Pelo contrarário, é um filme que não é relaxante, é um filme tenso, denso e carregado de simbologismos. Se por acaso você perder a linha do começo do filme, você perderá todo o resto. Você precisa compreender que tudo está ligado desde a primeira cena.
Não é um filme que qualquer ignorante entenda. As melhores cenas são justamente as cenas onde não há ação. Ali mora a alma do filme. Aquelas cenas é que contam o filme, as cenas de ação são muito boas, divertidas, mas não formam por si só o filme.

A teia é tecida no decorrer do filme, é ali que ela é linkada a todo o resto. É o tipo do filme que os cinco minutos que se perdem são suficientes para que você ache o filme uma droga. Não é um filme de fácil digestão. As nuances fazem deste filme uma película verdadeiramente primorosa.

Porém, como já dito, não é para qualquer estomago ou qualquer sessão da tarde. É um thriller que exige atenção e conhecimento da platéia. Espere algo que mexa com a psiquê humana, levando-o ao limite para compreender o decorrer da história.

Aqui é Elrond Bruno dizendo: "Para obter a sua liberdade você precisará conseguir cinco coisas: Um mapa, fogo, uma faca e uma chave. A quinta é uma surpresa é algo que você terá que descobrir."
Postar um comentário