domingo, 17 de julho de 2011

XII Fenearte, Invasão Pretoboy no evento!

Pois é nobres leitores, dois posts sobre o mesmo evento siiim, ois ambos estivemos lá, emalgumas ocasiões nos dividimos e tivemos diferentes visões sobre o evento.
Concordo em todos os pontos ressaltados pelo Radar, porém tenho os meus que achei que faltaram ser ressaltados.
Primeiro, seue abaixo um cronograma do que rolou no evento:

Segundo, tivemos avanços e necessidades de mais avanços. Primeiro avanço, o engenheiro de som que arrumou o palco merece um grande elogio, o barulho do palco ficava quase que integralmente DENTRO da praça de alimentação, local onde deveria mesmo ficar. Parabéns!
Melorias? PAREM DE PÔR GRUPOS DE CABLOQUINHO, FORRÓ, BLOCODAS FLORES ou sea o que for circulando dentro de um ambiente que já não é espaçoso. Isso tumultua, da vontade de sair gritando mandando parar.
Ponto positivo: Tinha uma rua que passava direto pelos estandes, para quem não quisesse ver de um por um, podia passar batido. Finalmente perceberam que nem sempre queremos ser ratos andando pelos caminhos pré-estabelecidos fazendo zig-zag.
Outro ponto positivo, podia sair da feira deixar o material no carro e voltar, muito bom isso.
Ponto negativo a comida. Em alguns pontos excessivamente cara e com um péssimo serviço, nos locais que afirmavam ter serviço, e mesmo com um serviço pífio cobravam 10 %. Absurdo.
Ponto negativíssimo, era evidente no Stand do Japão que os produtos eram aqueles produtos chinfrins made in China, não havia artesanato, não havia cultura no stand Japonês, era como ir ao centro do Recife, só que bem mais caro. Assim como alguns Stands que vendiam bijoterias, brincos que não eram artesanato.O que descaracteriza um evento que tem o objetivo de dar valor aos artesãos.
Um ponto que foi uníssono foi a repetitividade dentro do evento, muita coisa igual, porém os diferentes saltavam aos olhos de maneira brilhante.
Outro Ponto Positivo que deveria ser mais ressaltado é o mesanino, poucas pessoas subiam, e haviam coisas interessantes, até mesmo massagem por um preço interessante, R$15,00 por 15 minutos, massagens bem feitas, relaxantes e que davam novo ânimo para agüentarmos a feira.
Falta visão nos vendedores, eu se fosseexpositor faria logo uma parceria a cada "X" reais em compras ganhava um cupom para a massagem no mesanino e pagava tipo R$20,00 para o pessoal do mesanino...algo assim...pagava mais mas garantia os clientes!ia ser bom para ambos.
Ponto Negativo: O sistema dos cartões de crédito estavam congestionados, faltavam torres para fazer o contato, os vendedores deixavam de vender por causa da máquina que não passava. Absurdo, inconcebível.
Só avisando essa foi a impressão de quem foi em 3 dias de feira, na segunda, na quarta a tarde e na sexta de manhã até de noite lá dentro.
Levei empurrão de velhinha, vi senhoras mal educadas que não respeitavam idosas cadeirantes, vi meninos com apitos infernais vendidos pelos indios e vi stands interessantes.
Só comentando o que o Radar falou, fora 3 facas e um amolador...uma das facas foi dada de presente ao Jay, e o facão e a faca eu fiquei. O camarada era super gente fina. Quase compramos um sabre que não era decorativo, digo, ele era pra ser mas o rapaz pôs fio nele.
Num saldo geral a fenearte foi boa, fiz algumas boas aquisições como o chapéu que dizem que não é Panama, mas foi feito no equador e os invejosos dizem que não é só pq não compraram!hehehehehehe
Comprei lembranças para quase todo mundo e me diverti com meus amigos.
Num saldo geral foi bom.
Precisa melhorar alguns pontos, o centro de convenções precisa aumentar a qualidade do Ar-Condicionado, passei muito calor ali.
Siiiiiiiiiiiiiim, ponto positivíssimo que vi lá, tinham pessoas que trabalhavam pela fenearte que tinha o trabalho de andar com grupos de portadores de deficiência visual e os portadores com fones de ouvido e o guia com microfone, o guia ia dizendo o que havia em cada Stand. Isso é que é inclusão. Até os portadores de deficiência visual puderam apreciar esse evento. Nota 1000000000000000 para o Governo por essa visão integrassionista.

Aqui é Elrond Bruno dizendo: Parce nada, mas imagina se fosse você que não enxergasse e agora dessa forma pudesse também participar de maneira interativa de um evento como esse e aprecia-lo.
Postar um comentário